Informativo


Sinalizadores salvam vidas em alto mar, mas podem causar sérios acidentes em terra firme

Depois da morte do adolescente boliviano de 14 anos, atingido por um sinalizador disparado pela torcida corinthiana durante o jogo de futebol entre San José e Corinthians, realizado na quarta-feira (20), na Bolívia, ficou evidente o perigo que este artefato – destinado principalmente ao meio náutico – traz quando é usado de maneira indevida.

Ironicamente, o sinalizador que matou Kevin Douglas Beltrán Espada é utilizado para salvar vidas em alto mar. Mas, hoje em dia, dificilmente as pessoas interpretam os sinalizadores como um pedido de socorro, mesmo que venham de embarcações. Isso porque, com o uso indevido em festas e datas especiais – assim como na partida de futebol –, o sinalizador é interpretado apenas como manifestação de comemoração.

O acidente que aconteceu no estádio boliviano não é o único. Um mês atrás, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, um incêndio causado por um sinalizador matou mais de 239 pessoas em uma boate.

O dentista Luciano Dib também já foi vítima do uso indevido de sinalizadores. Durante a virada de ano, em dezembro de 2005, ele foi atingido na região do tórax e passou cerca de 15 dias na UTI. “Depois de quase ter morrido, eu considero isso um crime. Na verdade, o sinalizador pode ser uma arma. A venda para uso impróprio deveria ser proibida, a fiscalização precisa ser mais rígida”, declara Luciano.

Mesmo com toda tecnologia da qual os barcos dispõem atualmente, os sinalizadores ainda são essenciais para o salvamento no mar e exigidos pela Autoridade Marítima.

Existem três tipos de sinalizadores – o foguete com estrela vermelha e paraquedas, o facho manual de luz vermelha e o fumígeno flutuante laranja. A importância destes recursos pirotécnicos no meio náutico é tão grande que, por lei, toda embarcação brasileira, que navega em mar aberto, é obrigada a ter todos eles a bordo. As únicas embarcações que podem navegar sem os artefatos são as que navegam em águas abrigadas.

Entenda quando cada sinalizador deve ser usado:

Foguete com estrela vermelha e paraquedas

Este sinalizador foi o que causou a morte do torcedor boliviano. Ele é indicado para uso em situações de perigo a longa distância, durante o dia ou à noite. Ao ser lançado, ele dispara um paraquedas com intensa luz vermelha em formato de estrela a 300 metros de altura e, segundo os fabricantes, podem ser avistados a até 41 milhas (cerca de 80 quilômetros) de distância em noites de céu claro.

Facho manual de luz vermelha

Este é um cilindro metálico que emite uma luz intensa por cerca de um minuto. Seu uso é indicado para situações com visibilidade reduzida à noite e a curta distância, uma milha (dois quilômetros), podendo chegar até cinco milhas (perto de 10 quilômetros) em caso raro de extrema visibilidade.

Fumígeno flutuante laranja

Este tipo de sinalizador produz um rastro de fumaça colorida que dura de três a cinco minutos, e é indicado para uso durante o dia, a curta distância. Dependendo da intensidade do vento, sua fumaça pode se propagar por entre 100 e 200 metros e alcançar até 10 metros de altura.

 

Fonte: Revista Náutica
 



© 2011 Luna Boats | Av. Santa Beatriz, 1500 | Uberaba | Fone: (34) 3338-8200 - Fax: (34) 3338-9500
Desenvolvido por: URA Online